Você Com Arma Branca Ou De Fogo?

Você Com Arma Branca Ou De Fogo? 1

Se colocam novas avaliações a respeito do potencial do elo matrimonial,em ligação ao par subjetivação – desubjetivación e pertencimento – despertenencia. Destaca-Se o sistema narcisista eu – outro, sujeito – conjunto social, como regulador da identidade de cada um eu de um hiperlink, sendo assim, predominante o narcisismo erótico ou o narcisismo tanático.

Se propõe o eixo endogamia-exogamia operando sobre o conflito outro representado – outro real, como mostrador do par encontro-desencontro dos eus de um link. Salienta-Se que a disparidade entre funcionamento vincular e estruturas psíquicas individuais. São considerados alguns conceitos da psicanálise, da suposição da intercomunicação e da antropologia estrutural em redor do intercâmbio entre indivíduos em relação. Distinguem-Se dois modos de ferocidade: no falar e no receber e a correlação com modos de censura à predominância reivindicativo ou retaliativo. Se puntualizan alguns indicadores semiológicos de dureza na intercomunicação, decorrentes da aplicação do movimento violento sobre o assunto os eus ou sobre as mensagens.

Estar em casal faz a identidade. Não é só o ser e o ter, também é o de pertencer. S. Freud usa o termo identidade ligada à ideia de pertença, em comunicado aos membros da Sociedade B’nai B’rith, em 1926 (10a, págs. Assim a organização do Complexo de Édipo, igualmente criada por Freud em 1923 (10b, págs. 3 facetas clássicas do Complexo de Édipo referidas por Freud, algumas 2: parecer e ser. R. Kaës (16a) inventa a necessidade de pertença a um grupo, o grupo apresenta ao sujeito o apoio crucial para superar o desamparo e a “ansiedade de não alocação” .

Assim mesmo (16b), partindo da idéia freudiana de fixação da pulsão sexual pela inevitabilidade biológica, desenvolve o conceito de “suporte” em conexão ao próprio corpo e ao próprio psiquismo, aos vínculos e à cultura. Concebe a construção do psiquismo a respeito da apoio de múltiplas apuntalamientos que funcionam como pontes unindo e separando cada vez. Sustenta que a liga é produtora de subjetividade, desse jeito, vínculos e grupos fornecem formas específicas de “suporte”.

  • 1925 – A quimera do ouro
  • 2010: “Parachute”
  • Lançamento: Dez de janeiro de 2006[51]
  • O temporal provoca vento de até 188 quilômetros por hora em Biscaia
  • 2000: O diabo de seu coração
  • Minha amiga Tati (1993)
  • 2 Medida de colchões 2.1 Medidas habituais nos EUA. EUA. e Reino Unido[1]

L. e R. Grinberg (15, pág. Consideramos que a identidade de cada associado de um elo matrimonial é sustentada com e pro outro, quando o intercâmbio vincular é produtor de subjetividade e complexidade. Por outro lado, poderá ser jaqueada até os limites da devastação psíquica e, em certos extremos até a morte real, quando as condições de elaboração de subjetividade se perturbam.

Outros autores trazem sobre o valor dos links e, em especial, o do hiperlink cedo pela constituição da subjetividade. E. Pichon Rivière (21) alega-se ao link em uma dupla grandeza, intra e intersubjetiva. As relações intersubjetivas se estabelecem sobre o registro da inevitabilidade, vinculado à fantasia inconsciente, e que implicam um circuito de intercomunicação que é o modo específico de cada hiperlink. Assim, no momento em que um conjunto de pessoas que se articulam a partir de tua “mútua representação interna”, pode-se discutir de grupo e os links internos são a resultante da internalização das relações exteriores.

R. Kaës (16a) apresenta um outro ponto de viragem pela concepção da subjetividade, ao propor que a intersubjetividade é aquilo que se troca entre os sujeitos de um link, de um grupo, por exigências mútuas. Descarta a circunstância de um inconsciente de conjunto e sustenta que certas formações do inconsciente conseguem dever fração de seus conteúdos e destinos, ao episódio de estar constituídas dentro do conjunto e ser constitutivas do mesmo.

M. Bernard (6) sustenta que os sujeitos de um hiperlink produzem fantasias inconscientes na ocasião desse elo, fantasias que organizam o hiperlink e produzem efeitos sobre isso os protagonistas. Estabelecer vínculos que se continue um nível ressaltou – (mútuas representações internas do conjunto que constituem) requerido pra este autor, que os seus membros sejam capazes de discernir o outro em sua alteridade.

A idéia de dificuldade da subjetividade, é pensada por J. Bleger (8, pág. J. Gedo e A. Goldberg (11, pág. “apto de relatar de forma explícita as perspectivas simultâneas de um funcionamento progressivo ou regressivo”. As idéias de produção de subjetividade e complexidade são úteis pra meditar os desempenhos vinculares (casal, família, grupo).

O jeito de funcionamento de cada hiperlink permite separar o potencial de o ligar, a subjetividade, em tão alto grau em um significado construtivo como destrutivo. O elo conjugal, efeito e razão de operações intersubjetivas, é fonte de estabilidade ou instabilidade emocional, no tempo em que revive a todo o momento alguma coisa a lógica constitutiva do sujeito, que só assumiu como tal pela ligação com o outro.